terça-feira, 29 de março de 2011

Para uma inspiração...

Nunca estamos preparados para aceitar a perda de alguém que gostamos, mesmo que saibamos que isso pode acontecer a qualquer momento, mesmo que saibamos que esse destino termina com um sofrimento insuportável combatido até ao último fôlego.
Há uma imensidão de acontecimentos e de vivências que me ligam a ti e que se transformam em memórias que quero manter presentes, pois para mim esta é a melhor maneira de te homenagear, manter-te viva dentro de mim. Chorei de tristeza, fiquei sem ar e senti vertigens ao ver-te repousar no altar ao mesmo tempo que pensava que tudo o que vi não era real mas sim um pesadelo.
Mas mais importante que tudo isto quero que saibas que depois, juntamente com a "trupe de infância", nos rimos muito ao recordarmos os bons momentos que marcaram a nossa infância, as tuas tontarias de menina mimada, ávida de atenção, mas sempre tão doce, tão meiga e carinhosa. Esse momento renasceu-te dentro de todos nós, família e amigos.
A tua vida, ainda que curta, é uma fonte de inspiração pela tua força, pela tua coragem, pelo teu permanente otimismo, pela tua imensa dedicação aqueles que sofriam tal como tu e a quem tu trasmitiste tudo isto, puxando-os para cima, dizendo-lhes: "Vocês conseguem!", "Acreditem em vocês!", "Não se deixem vencer!".
Ao longo do teu precurso tocaste a vida de muitas pessoas, foste porto de abrigo mesmo quando vivias sob uma tempestade e isso será eterno nas memórias de cada um.

Até sempre linda! Um dia saberei o que dizer-te...

segunda-feira, 28 de março de 2011

Introspecção...

Na nossa natureza como seres humanos não há espaço para a solidão. O isolamento faz-nos definhar, esvazia-nos, transforma-nos em fantasmas de um rosto sem alma, mata-nos pouco a pouco... Porém, a solidão pode ser interpretada como um momento de reflexão, de introspecção, de uma busca pela luz no meio da escuridão que um dia nos possuiu, da procura de uma parte de nós que um dia se perdeu pelo caminho e da força que de um dia para o outro passou de inesgotável a inexistente.

Na reflexão surgem perguntas sem resposta, incertezas, angústias, remorsos, mágoas, sonhos perdidos...
Os sentimentos entram em espiral, a tristeza apodera-se de nós e sentimos que só uma coisa nos tira deste estado... 
Preciso da coragem para encontrar a resposta...