domingo, 24 de abril de 2011

Tetas com pinta!

Isto de fazer serviço numa zona rural tem tanto de entediante como de caricato. Hoje atendi uma chamada telefónica de um caro cidadão que, imagine-se, tinha perdido uma... cabra!!! A conversa telefónica foi, obviamente surreal, e nem o mais completo treino de técnicas de atendimento me prepararia para o que veio:

Cidadão: Estou? É da Guarda Republicana?
Geninho: Boa tarde! É da GNR sim. Em que posso ajudá-lo?
Cidadão: Ó sô Guarda! Eu andava aqui no monte a pastar um rebanho e quando dei conta uma p*** duma cabra desapareceu-me! Não dá pra virem com o jipe dar uma vista d'olhos aqui no monte? É que a cabra custou-me pra cima de um dinheirão!!!
Geninho (a tentar decifrar que tipo de cabra era): Ok, o senhor está a dizer-me que perdeu uma cabra e quer que uma patrulha nossa vá procurá-la por si?
Cidadão: Atão vocês não servem pr'ajudar? Eu não posso largar as outras cabras para ir á procura da que me fugiu senão, quando cá chegar, já estas p**** se foram também!!
Geninho: Acalme-se e então explique-me... (pausa, a pensar no que é que ia dizer ao desgraçado). Descreva-me lá o animal! (sem estar a acreditar que lhe estava a perguntar aquilo)
Cidadão: Oh, f***-se! É uma cabra, o qué que quer que lhe diga?
Geninho (já em brasa): Sim, mas o tamanho, a cor, se tem alguma marca específica...
Cidadão: Olhe, sei lá! É grande, castanha e tem umas pintas nas tetas!
Geninho: Pintas nas tetas... sim senhor! Mas você não pode querer que a patrulha ande a espreitar as tetas de todas as cabras que encontrarem para ver se é a sua (sim, eu sei o que isto soou)! Que direção é que ela tomou?
Cidadão: Ela não tomou nada c*****! Já lhe disse que estava a pastar erva e que fugiu!
Geninho (isto não me está a acontecer): Para onde é que ela foi... Para que lado lhe fugiu... É isso que lhe estou a a perguntar!!!!!
Cidadão: Sei lá eu!! Se soubesse não pedia a vossa ajuda, num é? Tá aí, perdida no monte!
Geninho (já sem paciência): Olhe amigo, dê-me o seu número, fique sossegado e se nós a encontrarmos avisamo-lo, OK?
Cidadão: Tá bem. Mas num se esqueçam! Se encontrarem uma cabra olhem prás tetas e se virem umas pintas, é a minha!
Geninho: As tetas! Claro! As tetas com pintas...

Haja pachorra! :)

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Páscoa Feliz e em Segurança

Não sou muito de ligar a épocas festivas (até porque normalmente estou a trabalhar para que os outros as possam gozar tranquilamente, o que é o caso!) mas não posso deixar de desejar uma Boa Páscoa a todos!

Conselhos de segurança nas viagens:

- Moderem a velocidade (mais vale perder um minuto na vida do que a vida num minuto);
- Não se excedam no álcool (têm tempo para se emborracharem quando chegarem ao destino);
- Cumpram as regras de trânsito (a sinalização não serve só para enfeitar);
- Não façam manobras arriscadas (o vosso carro não é de competição e a estrada é tudo menos um circuito);
- Atenção ao transporte de crianças e á utilização de cintos de segurança (pode ser a diferença entre ficarem vivos ou a de saírem disparados pelo vidro);
- Respeitem as distâncias de segurança em relação ao veículo da frente (cheirar o cu do carro da frente normalmente dá merda);
- Não façam refeições pesadas (comer ferro e afins está fora de questão);
- Se estiverem cansados parem as vezes que forem necessárias para repousarem (já existem carros que estacionam sozinhos mas ainda não os há que conduzem sozinhos).
- Se assitirem a algum comportamento de risco na estrada não stressem (tão típico do condutor tuga). vão cometer mais erros se estiverem nervosos;

Falar é fácil, aconselhar também. Por isso, na estrada, tudo depende de nós. Sejam responsáveis e não coloquem a vossa vida em risco nem a dos outros. Páscoa Feliz!!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Saudosismo

Para mim uma das melhores bandas de sempre de R&B!

Hoje estou melancólico...



quarta-feira, 20 de abril de 2011

Uma reflexão mais ou menos esotérica

Os sentimentos e emoções vividos transformam-nos. De entre tantos desafios que nos surgem diariamente o maior é, sem dúvida, o de olharmos para o nosso interior e acompanharmos essa transformação. Reconhecermos as nossas fragilidades, medos e receios aceitando-os é sinal de força e de sabedoria para os enfrentarmos. Nada na vida é garantido, nada na vida é certo e a linha que separa a fronteira dessa realidade da ilusão de que a controlamos é muito ténue...

"Viver o presente de forma intensa e plena e não temer o futuro nunca me fará arrepender do passado."



segunda-feira, 18 de abril de 2011

Há dias assim...

Se há coisa que eu detesto tanto ou mais que a solidão, é o tédio. E hoje há disso com fartura. Já fiz sudoku, palavras cruzadas, sopa de letras, já bebi café, já vi os mails, estou a escrever aqui e não há nada que me anime ou que me faça sentir bem... (Aliás, haver até havia só que quanto a isso nada posso fazer, infelizmente) E tudo isto associado a uma noite sem dormir por estar a trabalhar sem que se passasse absolutamente nada faz-me sentir ainda pior!

O sentimento de absoluta impotência perante este cenário é, no mínimo, perturbador!!

Vou mas é dar cabo do corpinho a treinar que é o melhor que faço. Ao menos não há nada nem ninguém que me tire esse prazer...

(É impressão minha ou estou a ficar cada vez mais rezingão?)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Paradoxo

A verdade por vezes dói. Que ninguém duvide disso. Quer sejamos nós a dizê-la ou a ouvi-la existe sempre uma dor associada ao momento. O murro no estômago, aquele baque no coração, o "tilt" no cérebro. Não há nada que custe mais de admitir do que a verdade e nem todos têm a coragem de o fazer num mundo que vive de mentiras e de subterfúgios.

Porém a verdade também deve ser, e é, libertadora. Liberta-nos dos medos, desfaz ilusões, dá-nos força para darmos o próximo passo, torna-nos mais genuínos, mais confiantes e seguros das nossas convicções.

Por outro lado, pode deixar-nos de rastos, tristes, por nós e pelos outros, angustiados e inseguros quanto ao futuro, presos ao passado.

Por tudo isto, há momentos em que me apetecia estar aqui...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Que sejam muitos meu amor...

Passei uma das noites mais angustiantes mas ao mesmo tempo mais emocionantes da minha vida quando uma consulta de rotina se transformou no início de um processo que só se concluiria cerca de dezoito horas depois. Fui a casa, regressei e passei a noite em branco ao seu lado, a vê-la sofrer, impotente... Prestes a chegar o momento mágico, único e inesquecível eis que surgem complicações. Sou "despejado" da sala onde nos encontrávamos e "armazenado" noutra, à espera... Duas solas de sapatos e muitos quilómetros depois vejo-a pela primeira vez. Fiquei sem reação, sem palavras de tanta emoção e só acordei deste estado quando me gritaram (literalmente) "Quer constipar a menina???" Nem me dei conta que já ia a meio caminho para pegar nela e que já a tinha destapado. Este torpor transformou-se em euforia, a exaustão em energia e a angústia da espera em felicidade extrema. A minha filha tinha nascido, estava bem, a mãe também e eu... nem sei. Já lá vão 5 anos...

Feliz Aniversário Meu Anjo.