segunda-feira, 30 de maio de 2011

ALL IN!

"Se sabes que a tua jogada foi a mais correcta, não te desiludas mesmo que percas. Mas se te
sentares à mesa e não conseguires descobrir quem é o elo mais fraco é porque esse, serás tu!"
Geninho


Para se consolarem nas ("BAD BEATS") da vida...

sábado, 28 de maio de 2011

Sempre a bombear!

"O coração está constantemente a contrair e a relaxar (esse processo é chamado de sístole e diástole), para bombear todo o sangue do nosso corpo. É uma bomba hidráulica, em que os tubos de saída são as artérias e os tubos de entrada as veias; o líquido que anda a circular é o sangue. O seu sincronismo atua como se fossem duas bombas trabalhando simultaneamente. Uma das bombas engloba a átrio direito e o ventrículo direito e a outra o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo. A função do átrio e do ventrículo direitos é arrastar o sangue para os pulmões, onde se liberta o dióxido de carbono e se fornece de oxigénio. Por outro lado, o átrio e o ventrículo esquerdo têm o trabalho de arrastar o sangue enriquecido de oxigénio para todas as partes do corpo." - Wikipédia


Quando a ciência se (con) funde!



sexta-feira, 27 de maio de 2011

Muita merda!!!!!

É o que se deseja a todos os que vão entrar num qualquer palco de teatro. O frio na barriga, os suores, a boca seca associados à ansiedade da transformação e da fusão com a personagem, o apurar dos sentidos, a sensação de adrenalina que, como uma droga, nos inflama as veias, a explosão de emoções e por fim... os aplausos. Um gesto de reconhecimento tão simples e tão gratificante que nos faz respirar fundo e pensar: sou eu novamente, mas melhor...

Que saudades...

quinta-feira, 26 de maio de 2011

...


"A honestidade é elogiada por todos, mas morre de frio."
(Juvenal)


Para todos os que precisam de se (AQUECER).

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Mais uma dos 80's...

A vida prova-nos todos os dias que há sempre um anjo a tomar conta de nós...
Já sentiram o vosso?



Eu já, em todos os momentos que me pareciam sem solução...

segunda-feira, 23 de maio de 2011

I´ll meet you in the light...

Mesmo que um dia nos percamos,
voltaremos a encontrar todos aqueles que amámos durante a vida...
Eu, espero uma multidão...


sábado, 21 de maio de 2011

De génio e de louco todos temos um pouco


O que é a loucura? É a fuga do que consideramos ser os padrões normais da nossa sociedade? Chamamos de loucos aqueles que não se comportam de forma convencional? O que é o convencional? Não será a loucura apenas o reflexo de nós próprios?

Não serão os chamados loucos mais corajosos do que qualquer um de nós por exteriorizarem o que nós receamos, o que nós recalcamos, o que todos nós temos medo de mostrar?

Não estarão os chamados loucos apenas ávidos de um gesto de atenção, de compreensão, de abertura para que possamos entrar no seu mundo e tentar entendê-lo? 

Hoje passei por alguém que, pelos nossos padrões, podia ser apelidado de louco. Sentado num degrau, encolhido sobre si próprio, com as mãos na cabeça, olhar distante e vazio, embalando-se a si próprio num movimento de vai e vem quase perpétuo. Observei-o, passei por ele e recebi um olhar de soslaio, de curiosidade, um olhar que me tocou, que me fez ver mais além do que a sua fragilidade física. Quando voltei a passar por ele disse-lhe um simples "Bom dia"  e a sua resposta foi uma das mais belas transformações que já presenciei.

Parou de se balançar, endireitou-se, adoptando uma pose quase artificial, e fixou o seu olhar no meu. E foi através do seu olhar, agora profundo, transparente, sincero, que pude ver um pouco da sua essência, daquilo que nos passa quase sempre despercebido, que é quase sempre desvalorizado. Um ser humano frágil na sua aparência mas tão ou mais forte, mais puro, mais interessante e cativante que qualquer um de nós.

Um "Obrigado!", bastou para eu sentir que naquele momento partilhei com ele um pouco do seu mundo, que fiquei a conhecer um pedaço de si, de alguém que, pelo meu simples gesto, me deu um vislumbre de algo que nem todos estamos dispostos a ver.

"Foi apenas um vislumbre, é certo, mas que me fez pensar que se num vislumbre posso ver tanto porque é que cego todos os dias? Não terei certamente uma perspicácia invulgar, apenas estarei mais aberto a ver o que não é óbvio."
Geninho.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Palavras Perdidas...


Porque todos temos algo de intocável, de inatingível, algo só nosso, com um significado único,

singular, que marca a diferença na vida de cada um...


domingo, 8 de maio de 2011

Saudosos anos 80...

Tenho saudades dos anos 80, época de infância e porventura os melhores anos da minha vida, mas também pela música, que tinha mais alma, mais sentimento, mais significado. Fossem bandas ou cantores a solo, tinham que trabalhar muito, muito mesmo para conseguirem ver o seu talento reconhecido. Faz-me confusão ver hoje em dia miúdos transformarem-se em estrelas de um dia para o outro, suportados por uma máquina de marketing infalível que só pensa em ganhar dinheiro em detrimento da qualidade da música.

"At the end of the day, it's all about the money."

Esta sim, é música. Eterna, profunda, surpreendentemente atual e um tributo a alguém que deveria ter ficado entre nós durante muito mais tempo...





sábado, 7 de maio de 2011

Velha atrevida, conservadora e autoritária!!! É dose...

Um destes dias estava eu a chegar ao posto vindo de mais uma patrulha. Saio do carro, pego no material e dirijo-me para a porta do posto e eis que, quando me preparo para entrar, deparo-me com uma senhora a caminhar para os seus 80 e muitos anos, de bengala, muito curvada mas ainda direita o suficiente para me olhar nos olhos e sair-se com esta:

"Agora percebo porque é que as moças vêm todas parar aqui à porta do posto. Isto agora é só moços novos, bem apessoados. Não admira que elas venham práqui abanar as saias! Ahhhh mas se fossem minhas filhas haviam de levar umas tchapadas no focinho!"

Dito isto, continua o seu caminho impávida e serena a murmurar qualquer coisa impercetível. E eu, habituado a lidar com situações de stress fiquei sem reação! Ele há cenas do caraças...


sexta-feira, 6 de maio de 2011

Descansar muito... cansa!

Não treino tantas vezes quantas gostaria mas quando o faço é a sério porque sou apologista da velha máxima de "mente sã em corpo são". Corridinhas de 15 Km, séries de flexões, de abdominais, de elevações na barra, corda até fartar e afins, feitos com a intensidade certa, são um treino extenuante por isso o corpo ressente-se e pede descanso para recuperar. Nada mais óbvio! Os dois dias seguintes são quase sempre complicados, com as dorzinhas da ordem, a moleza infindável, os movimentos lentos e difíceis de executar. Ok, tudo isto é normal e previsível e é facilmente resolvido com uma boa alimentação e descanso suficiente. Agora, o que me deixa fulo é ter os mesmos sintomas quando durmo demais mesmo sem ter treinado! Acordo estremunhado, ando sempre a bocejar, a moleza está cá, a lentidão de movimentos e de pensamentos também e por mais chapadas que dê em mim mesmo ou por mais água fria que passe na cara para me tirar deste estado deplorável, nada acontece! Detesto sentir-me assim porque gosto de estar desperto, atento, vigilante, com os sentidos apurados, reactivo, preventivo! E tanto assim é que a única solução passa por... fazer mais exercício!!!! Estou a ficar um autentico "exercise a holic"!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Porque a vida precisa de cor...

... as cores "têm a capacidade" de nos transmitirem sentimentos, de nos alterarem o estado de espírito, de expressá-lo!
E a vida sem cor não tem graça...
Pintem as vossas vidas!



quarta-feira, 4 de maio de 2011

Habituas-te?

Nós somos criaturas de hábitos. Isto é um ponto assente. Habituamo-nos a tudo o que nos dá prazer, ao que nos é conveniente, ao que nos é cómodo. É uma forma de nos centrarmos em algo, de preenchermos o nosso dia a dia e isso é uma necessidade latente que, mais cedo ou mais tarde, vem à tona, expressa nas rotinas diárias, nas obrigações sociais.

Pessoas, lugares, desejos, trejeitos, vozes, cheiros, risos, sorrisos, imagens, acções, inércias, impulsos...

Por muito bons que alguns possam ser, existem outros que nos estagnam, que nos transformam em autómatos sem vontade própria, movidos a inconsciência. São estes que temos que largar...

"Quais são os vossos?"






 

terça-feira, 3 de maio de 2011

Vivam as diferenças!

Não há nada pior do que o preconceito, o juízo de valor baseado em ideias estereotipadas que algum "iluminado", um dia, achou que eram as mais correctas, motivadas por sentimentos tão negativos como a inveja, o desprezo ou o ódio.

Sabermos viver com as diferenças e aceitá-las é, pura e simplesmente, respeitarmos a nossa natureza humana e quem não o faz já está morto por dentro sem o saber...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Coincidências? Naaaaa...

Não sou de acreditar muito em coincidências nem em acasos. Embora me possam acontecer, pontualmente, situações inesperadas em circunstâncias igualmente inesperadas, eu sou dos que acredita que nada acontece só porque tem que acontecer. Encarar as coisas desta forma, para mim, é leviandade. Existe sempre uma razão válida e pertinente, por mais estapafúrdia que nos possa parecer, basta que estejamos dispostos a encontrá-la reflectindo sobre o antes e o depois. 

E isto, obviamente, não se aplica apenas ao que nos acontece a nós. Quando olho à minha volta com alguma atenção e perspicácia, apanhando um pouco daqui, um pouco dali concluo que existem factos demasiado óbvios, acasos demasiado gritantes, peças de puzzle que se encaixam mesmo quando tentam passar despercebidas e discretas. E eis que se faz luz...

Uma das maiores virtudes é...