quarta-feira, 11 de julho de 2012

Condição Desumana

A vida é bela, dizem uns. A vida é um pesadelo, dizem outros. A vida é o que fazemos dela, pensam muitos.

Tudo isto é verdade, moldado pelas circunstãncias em que vivemos, pelas decisões que tomamos. Mas... e quem não tem a possibilidade de escolher? E quem apenas tenta sobreviver agarrado a uma esperança vã de que um dia tudo vai ficar bem? E quem vive constantemente envolvido na angústia e no medo de perder um ente querido? 

Ontem, vi na televisão uma reportagem que nos mostra esta realidade. Uma mãe, que viveu as alegrias de uma gravidez imaculada, sem problemas, sem sobressaltos, descobre mais tarde que a filha sofria de uma doença rara incurável que lhe tirou a visão, a possibilidade de andar e até mesmo de respirar sem ajuda. É uma menina que tenta sobreviver dia após dia mas que não deixa de sorrir, não deixa de lutar... A Mãe é uma mulher tolhida pela dor que perdeu o emprego, a ajuda dos familiares, que foi excluída socialmente... Mas esta Mulher não perde a esperança e o amor incondicional por uma criança que depende totalmente dela mas que mesmo assim mantém a sua inocente Essência...

Ao vê-las, não consegui evitar as lagrimas que carregaram a tristeza que me invadiu... E à noite, depois de contar a história à minha princesa senti a tristeza a esvair-se no abraço que lhe dei. E com ela aconchegada no meu regaço adormeci, a pensar que a minha vida é mesmo bela...

5 comentários:

Libertya... disse...

Quantas vezes nos queixamos da nossa vida, infortúnio, precalços e ao olharmos para quem carrega verdadeiros calvários, nos sentimos pequenos? São lições de vida, luta, coragem e muito, muito amor...

Olho todos os dias para as minhas princesas e penso que por maior que seja a minha dor ou cruz (sim, porque todos temos uma, seja ela de que tipo fôr, não existem vidas imaculadas ou perfeitas) e apercebo-me do quão leve me fazem sentir, grata e feliz...

Josh Gottam disse...

É, os filhos despertam, pelo menos em alguns, o melhor das pessoas. Infelizmente casos desses são mais do que aquilo de devia ser...

Senhor Geninho disse...

Libertya,

Temos que ser gratos pelo que temos de bom na vida e não perder tempo com futilidades. Não serão precisos casos destes para termos isto em mente mas, mexendo connosco, dão-nos um abanão que por vezes precisamos levar!

Beijo.

Senhor Geninho disse...

Josh,

Infelizmente é verdade. E uma outra verdade que ficou patente na reportagem é a falta de apoio que estas famílias têm por parte do Estado que as deixa completamente à deriva, entregues á sorte ou à caridade...

Abraço.

AC disse...

Quase todos de nós somos felizes só que nos esquecemos que aquilo que damos por garantido, saúde, uma casa, uma família, trabalho, amigos, outros andam desesperados a procurar.

Tento nunca me esquecer que sou uma privilegiada e que quase sempre reclamo de barriga cheia.